terça-feira, 29 de novembro de 2011

Irã ameaça os EUA e a crise pode piorar

O ministro da Defesa do Irã, Ahmad Vahidi, avisou aos Estados Unidos que seu país está preparado para ensinar “o que significa uma verdadeira guerra”. “O Irã é muito forte neste momento e está preparado para mostrar aos EUA o que significa uma autêntica guerra, se eles realizarem um ato de loucura”, disse Vahidi perante uma multidão de Voluntários Islâmicos na cidade de Bushehr, informaram a imprensa local. As frequentes notícias sobre armas e preparação bélica e os desafios às potências “arrogantes”, especialmente EUA e Israel, aumentaram no Irã depois que a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) demonstrou sua suspeita que o programa nuclear iraniano tem uma vertente militar. 

Vahidi advertiu neste domingo que “os que ameaçam a nação iraniana devem decidir até que ponto estão dispostos a se sacrificar e quantos deles estão dispostos a morrer”. “Também devem saber por quanto tempo poderiam suportar uma guerra e em que medida iriam tolerar assistir ao afundamento de seus navios de guerra e ter em mente como vão se proteger dos golpes destrutivos e poderosos dos mísseis e foguetes do Irã”, acrescentou. 

O ministro advertiu ao Governo dos EUA que não devem crer que tem experiência em guerras, porque no Iraque o regime de Saddam Hussein “se rendeu” e no Afeganistão ocuparam o país porque “não havia ninguém para lutar”, mas, agora, “sua situação em ambos países é muito adversa”, com uma resistência crescente. 

Além disso, os iranianos advertiram que não duvidarão em recorrer à guerra econômica e que, se forem atacados, podem cortar o Estreito de Ormuz, pelo qual sai um terço do petróleo que se consome no mundo. Isso poderia criar escassez de petróleo em muitos países, disparar ainda mais os preços eprovocar uma hecatombe de consequências imprevisíveis em uma situação de crise que já afeta grande parte do mundo

(Folha de S. Paulo)

Nota do blog Criacionismo: Será que Israel e os EUA estão dispostos a pagar o preço de uma eventual guerra contra o Irã? E se, de fato, os iranianos estiverem produzindo armamento nuclear, que escolha Israel terá, levando-se em conta que apenas uma dessas bombas seria capaz de varrer o país do mapa? O que será deste planeta – que já sofre os efeitos da crescente crise financeira que ameaça fragmentar a Europa (Dn 2), que se assusta com as crescentes catástrofes climáticas e geológicas (confira; Mt 24) e vem sofrendo, também, a engenharia social dos defensores e promotores do ECOmenismo – se realmente houver uma guerra capaz de ampliar ainda mais a crise? Dias piores virão (2Tm 3:1-3). Quem viver, infelizmente, verá. A única coisa boa em tudo isso é que essa situação toda, antevista em milênios na profecia bíblica, prenuncia o despontar de um novo tempo.[Michelson Borges]

Leia também: “Irã espera ataque para enviar Israel ao 'lixo da história'”,“O mundo por um fio”“Seca forçará governo do Texas a tomar medidas severas” e “Para OCDE, recuperação perde força e há risco de crise global” (para quem esperava que o século 21 seria uma maravilha, essas e outras notícias recentes são um verdadeiro balde de água fria)

Para OCDE, recuperação perde força e há risco de crise global

A recuperação econômica mundial está perdendo força, deixando a zona do euro em uma leve recessão e os Estados Unidos em risco de seguir o mesmo caminho, disse a OCDE (Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico) nesta segunda-feira, cortando em muito suas previsões.
A ameaça de recessões ainda mais devastadoras existe se a zona do euro não conseguir controlar sua crise de dívida e se os parlamentares dos EUA não puderem acertar um plano de redução de gastos estatais, advertiu a OCDE.
A organização reduziu drasticamente as previsões de crescimento nos países desenvolvidos, em particular na zona do euro, que já entrou em leve recessão e cuja economia registrará um anêmico avanço de 0,2% em 2012, de acordo com as previsões. A perspectiva anterior era de 2% de avanço.
Nos Estados Unidos, o crescimento ficará em 2% no próximo ano, contra 3,1% previsto anteriormente.
Seu relatório semestral Perspectiva Econômica previu que o crescimento mundial desacelerará para 3,4% em 2012, contra 3,8% neste ano. Isso marca uma forte queda em relação ao cenário projetado em maio, quando a OCDE estimava expansão de 4,2% neste ano e 4,6% em 2012.
No relatório, a organização destaca que um "acontecimento negativo maior" na zona do euro pode ter consequências "devastadoras" para a economia mundial e deixaria em recessão o conjunto dos países ricos, incluindo Estados Unidos e Japão.
"As autoridades políticas devem estar preparadas para o pior e o BCE (Banco Central Europeu) deve fazer mais para tentar resolver a crise da dívida", afirma.

Fonte: Folha.com

Quando paquerar é pecado

Se em sua região a palavra “paquera” é pejorativa ou não é muito bem vista, perdoe-nos e aceite esta explicação: usaremos a palavra “paquera”, como é entendida na maior parte do Brasil. (o ato de observar alguém “interessante”, visando uma possibilidade de namoro).

Um sentimento especial

Homem e mulher sentem-se atraídos um pelo outro, algo diferente ocorre, uma certa sensação de conquista, que tem um aspecto interessante: O OLHAR !

Olhos se cruzam, um certo charme “paira no ar”, e aquele sorriso discreto, traz um clima de expectativa e surpresa. Tudo acontece muito intensamente.

Paquera “saudável”

A paquera saudável é aquela onde tudo acontece naturalmente. Você está com um grupo de amigos conversando e de repente, alguém interessante aparece! Você começa a dar uma atenção especial à pessoa. Papo vai, papo vem… e como você está “solteiríssimo(a)” acaba gostando da história.

É o momento para conversar, conhecer o outro, encontrar afinidades, saber seus sonhos e alvos. Mas sempre de uma forma discreta, pura e sem malícia.

Este primeiro momento é decisivo, para continuar ou não com a ideia. Algumas vezes, acontece do outro nem perceber que foi alvo de suas intenções. Numa pequena conversa você já percebe que não daria certo, um namoro entre vocês.

Por outro lado, você também pode se surpreender. A cada momento que o papo se prolonga, o entusiasmo toma conta. Você dá a entender que gostaria de conversar novamente e convida para no próximo Sábado, ir à reunião de jovens da sua Igreja.

A “prejudicial”

Pode um momento tão emocionante como este, ser prejudicial? Deus faz um comentário “preocupante”, sobre o coração do homem, quando fala ao profeta Jeremias:

Jr 17:9-10 : “Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e desesperadamente corrupto; quem o conhecerá ? Eu, o Senhor, esquadrinho o coração e provo os pensamentos; e isto para dar a um segundo o seu proceder, segundo o fruto de suas ações.”

O coração do homem é enganoso. Uma coisa simples pode transformar-se em algo negativo, que pode magoar e deixar marcas. Analisando a paquera, à luz de alguns textos e princípios bíblicos, podemos dizer que ela é prejudicial, nestas situações:

1) quando não tem um ideal: desperta expectativas no outro e na hora “H”, pula fora sem assumir o que fez e ainda diz: “Foi uma brincadeira, você é que entendeu mal, você leva tudo a sério…”.

Pv 26:18-19 : “Como louco que lança fogo, flecha e morte. Assim é o homem que engana o seu próximo e diz : fiz isso por brincadeira”.

2) quando há uma intenção impura: quando a pessoa começa a paquera, com o principal pensamento na atração e sedução física, no desejo sexual e na malícia.

Mt 5:27-28 : “Ouvistes o que foi dito: Não adulterarás. Eu porém vos digo : qualquer que olhar para uma mulher com intenção impura, no coração já adulterou com ela.”

3) quando envolve defraudação: cria-se uma ilusão, desperta-se um desejo físico no outro, que você sabe que não poderá ir adiante, por não ser namorado da pessoa. Isso é o que a Bíblia condena e chama de defraudação.

1Ts 4:6-7 : “e que nesta matéria, ninguém ofenda, nem defraude a seu irmão; porque o Senhor, contra todas estas coisas, como antes vos avisamos e testificamos claramente, é o vingador, porquanto Deus, não nos chamou para a impureza e sim para a santificação.”

Todo o cuidado é pouco

Já dizia o poeta : “a maior covardia de um homem, é despertar o amor de uma mulher, sem a intenção de amá-la.” Esta frase diz respeito aos homens, mas também é valida para as mulheres. Portanto, todo cuidado é pouco.

A sensatez é uma das grandes virtudes. Usar a paquera para enganar, afirmar-se e sentir-se seguro, é covardia e egoísmo. Não condiz com a integridade de alguém que quer levar Deus a sério.

O importante nos contatos e relacionamentos é desenvolver uma amizade sadia. Buscar conhecer o outro sem malícia e “segundas intenções”. Aí sim, valerá a pena !

Pv 15:3 : “O Deus eterno vê o que acontece em toda a parte; ele está observando todos, tanto os bons, como os maus.”(BLH)

Percebeu a responsabilidade? Não adianta querer trapacear. Deus conhece o seu coração e está observando suas atitudes.

Fonte: Rádio Novo Tempo

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

IASD divulga documento sobre observância do sábado

A Igreja Adventista do Sétimo Dia reconhece o sábado como sinal distintivo de lealdade a Deus (Êx 20:8-11; 31:13-17; Ez 20:12, 20), cuja observância é pertinente a todos os seres humanos em todas as épocas e lugares (Is 56:1-7; Mc 2:27). Quando Deus “descansou” no sétimo dia da semana da criação, Ele também “santificou” e “abençoou” esse dia (Gn 2:2, 3), separando-o para uso sagrado e transformando-o em um canal de bênçãos para a humanidade. Aceitando o convite para deixar de lado seus “próprios interesses” durante o sábado (Is 58:13), os filhos de Deus observam esse dia como uma importante expressão da justificação pela fé em Cristo (Hb 4:4-11).

A observância do sábado é enunciada em Isaías 58:13, 14 nos seguintes termos: “Se desviares o pé de profanar o sábado e de cuidar dos teus próprios interesses no Meu santo dia; se chamares ao sábado deleitoso e santo dia do Senhor, digno de honra, e o honrares não seguindo os teus caminhos, não pretendendo fazer a tua própria vontade, nem falando palavras vãs, então, te deleitarás no Senhor.” Com base nesses princípios, a Divisão Sul-Americana da Igreja Adventista do Sétimo Dia reafirma neste documento seu compromisso com a fidelidade à observância do sábado.

Vida de santificação. A verdadeira observância do sábado se fundamenta em uma vida santificada pela graça de Cristo (Ez 20:12, 20); pois, “a fim de santificar o sábado, os homens precisam ser santos” (O Desejado de Todas as Nações, p. 283).

Crescimento espiritual. Como “um elo de ouro que nos une a Deus” (Testemunhos Para a Igreja, v. 6, p. 352), o sábado provê um contato mais próximo de Deus. Como tal, não devemos permitir que outras atividades, por mais nobres que sejam, enfraqueçam nossa comunhão com Deus nesse dia.

Preparação para o sábado. Antes do pôr do sol da sexta-feira (cf. Lv 23:32; Dt 16:6; Ne 13:19), as atividades seculares devem ser interrompidas (cf. Ne 13:13-22); a casa deve estar limpa e arrumada; as roupas, lavadas e passadas; os alimentos, devidamente providenciados (cf. Êx 16:22-30); e os membros da família, já prontos.

Início e término do sábado. O sábado é um dia de especial comunhão com Deus, e deve ser iniciado e terminado com breves e atrativos cultos de pôr do sol, com a participação dos membros da família. Nessas ocasiões, é oportuno cantar alguns hinos, ler uma passagem bíblica, seguida de comentários pertinentes, e expressar gratidão a Deus em oração. (VerTestemunhos Para a Igreja, v. 6, p. 356-359.)

Pessoas sob nossa influência. O quarto mandamento do Decálogo orienta que, no sábado, todas as pessoas sob nossa influência devem ser dispensadas das atividades seculares (Êx 20:10). Isso implica os demais membros da família, bem como os empregados e hóspedes; que também sejam estimulados a observar o sábado.

Espírito de comunhão. Como dia por excelência de comunhão com Deus (Ez 20:12, 20), o sábado deve se caracterizar por um prazeroso e alegre compromisso com as prioridades espirituais, com momentos especiais de leitura da Bíblia, oração e, se possível, de contato com a natureza (cf. At 16:13). Esse compromisso deverá ser mantido na escolha dos assuntos abordados também em nossos diálogos informais com familiares e amigos.

Reuniões da igreja. Somos admoestados a não deixar “de congregar-nos, como é costume de alguns” (Hb 10:25). Portanto, as programações e atividades regulares da igreja aos sábados devem ter precedência sobre outros compromissos pessoais e sociais, mesmo que estes sejam pertinentes para o sábado.

Casamentos e festas. O convite para deixar de lado nossos “próprios interesses” no sábado (Is 58:13) indica que casamentos e festas, incluindo seus devidos preparativos, devem ser realizados fora desse período sagrado. Casamentos e algumas festas mais suntuosas não devem ser planejados para os sábados à noite, pois seus preparativos envolvem expectativas e atividades não condizentes com o espírito de comunhão com Deus.

Mídia secular. A mídia secular, em todas as suas formas, deve ser deixada de lado durante as horas do sábado, para que este, rompendo com a rotina da vida, possa ser um dia “deleitoso e santo” (Is 58:13).

Esportes e lazer. Muitas atividades esportivas e de lazer, aceitáveis durante a semana, não são condizentes com a observância do sábado, pois desviam a mente das questões espirituais (Is 58:13).

Horas de sono. A Bíblia define o sábado como dia de “repouso solene” (Êx 31:15), e não como dia de recuperar o sono atrasado da semana. Ricas bênçãos advirão de levantar cedo no sábado, dedicando esse dia ao serviço do Senhor. (Ver Conselhos Sobre a Escola Sabatina, p. 170.)

Viagens. A realização de viagens por questões de trabalho ou interesses particulares é imprópria para o sábado. Existem, porém, ocasiões excepcionais em que se torna necessário viajar no sábado para atender a algum compromisso religioso ou situações emergenciais. Sempre que possível, os devidos preparativos, incluindo a compra de passagens e o abastecimento de combustível, devem ser feitos com a devida antecedência. (Ver Testemunhos Para a Igreja, v. 6, p. 359, 360.)

Excursões e acampamentos. A realização de excursões e acampamentos pode promover a socialização cristã (cf. Sl 42:4). Mas seus organizadores e demais participantes devem chegar ao devido local antes do início do sábado e montar sua estrutura, incluindo suas barracas, de modo que o santo dia possa ser observado segundo o mandamento. Além disso, as atividades durante as horas do sábado devem ser condizentes com o espírito sagrado desse dia.

Restaurantes e alimentação. A recomendação de que o alimento deve ser provido com a devida antecedência (Êx 16:4, 5; 22-30) significa que ele deve ser comprado fora das horas do sábado, e que a frequência a restaurantes comerciais nesse dia deve ser evitada.

Medicamentos. A compra de medicamentos durante o sábado é aceitável em situações emergenciais (cf. Lc 14:5), e imprópria quando a pessoa já os necessitava, e acabou postergando sua compra para esse dia.

Estágios e práticas escolares. O quarto mandamento do Decálogo (Êx 20:8-11) desabona a realização de atividades seculares no sábado, que gerem lucro ou benefício material. Envolvidos em tais atividades estão os programas de planejamento e preparo para a vida profissional, incluindo a frequência às aulas e a participação em estágios, simpósios, seminários e palestras de cunho profissional, concursos públicos e exames seletivos. Em caso de confinamento para a prestação de exames após o término do sábado, as horas desse dia devem ser gastas em atividades espirituais.

Escolha e exercício da profissão. A estrutura da sociedade em geral nem sempre favorece a observância do sábado, e acaba disponibilizando profissões e atividades que, embora sejam dignas, dificultam essa prática. Os adventistas do sétimo dia devem escolher e exercer profissões condizentes com a devida observância do sábado. Somos advertidos de que, se alguém, “por amor ao lucro, consente em que o negócio em que tem interesses seja atendido no sábado pelo sócio incrédulo, esse alguém é tão culpado quanto o incrédulo; e tem o dever de dissolver a sociedade, por mais que perca por assim proceder” (Evangelismo, p. 245).

Instituições de serviços básicos. A orientação de não fazer “nenhum trabalho” durante o sábado (Êx 20:10) indica que os observadores do sábado devem se abster de trabalhar nesse dia, mesmo em instituições seculares de serviços básicos. Instituições denominacionais que não podem fechar aos sábados (cf. Jo 5:17), incluindo os internatos adventistas, devem ser operadas nesse dia por um grupo reduzido e em forma de rodízio.

Atividades médicas e de saúde. Existem situações emergenciais que os profissionais da saúde devem atender, com base no princípio de que “é lícito curar no sábado” (Lc 14:3). Os hospitais adventistas necessitam dos préstimos de uma equipe médica, de enfermagem e de outros serviços básicos para o funcionamento nas horas do sábado. Mas os plantões rotineiros, tanto médicos quanto de enfermagem, em hospitais não adventistas, são impróprios para as horas do sábado. (Ver Ellen G. White Estate, “Conselhos de Ellen G. White Sobre o Trabalho aos Sábados em Instituições Médicas Adventistas e Não Adventistas”, em www.centrowhite.org.br.)

Projetos assistenciais. Cristo disse que “é licito, nos sábados, fazer o bem” (Mt 12:12). Isso significa que “toda atividade secular deve ser suspensa, mas as obras de misericórdia e beneficência estão em harmonia com o propósito do Senhor. Elas não devem ser limitadas a tempo ou lugar. Aliviar os aflitos, confortar os tristes, é um trabalho de amor que faz honra ao dia de Deus” (Beneficência Social, p. 77). Portanto, é lícito nas horas sagradas do sábado visitar enfermos, viúvas e órfãos, encarcerados e compartilhar uma refeição. Ações sociais que podem ser realizadas em outro dia não devem tomar as sagradas horas do sábado.

Atividades missionárias. O apóstolo Paulo usava o sábado para persuadir “tanto judeus como gregos” acerca do evangelho (At 18:4, 11; cf. 17:2), demonstrando a importância de se reservar um tempo especial nesse dia para atividades missionárias. Sempre que possível, os membros da família devem participar juntos dessas atividades, para desfrutar a socialização cristã e desenvolver o gosto pelo cumprimento da missão evangelística.

Como adventistas do sétimo dia, somos convidados a seguir o exemplo de Deus ao descansar no sétimo dia da semana da criação (Gn 2:2-3; Êx 20:8-11; 31:13-17; Hb 4:4-11), de modo que o sábado seja, para cada um de nós, um sinal exterior da graça de Deus e um canal de Suas incontáveis bênçãos.

(Portal Adventista)

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

OTAN esconde preparativos para ação militar contra a Síria

Os Estados Unidos decidiram abrir mão de certas obrigações referentes as Forças Convencionais no Tratado da Europa (CFE). Em particular, os EUA deixarão de informar a Rússia sobre os planos relacionados com a reorganização das suas forças. Essas restrições não afetam qualquer outro país.


"Hoje os Estados Unidos anunciaram em Viena, Áustria, que deixariam o cumprimento das obrigações determinadas nas Forças Armadas Convencionais do Tratado da Europa (CFE) em relação à Rússia. Este anúncio no grupo de implementação das Forças Convencionais do Tratado da Europa vem depois dos Estados Unidos e dos aliados da OTAN  terem tentado ao longo dos últimos quatro anos encontrar uma solução diplomática após a decisão da Rússia em 2007 de cessar a execução com relação a todos os outros 29 Estados do Tratado. Desde então, a Rússia se recusou a aceitar inspeções e deixou de prestar informações sobre suas forças militares aos outros membros conforme exigido pelo Tratado", disse a porta-voz do Departamento de Estado, Victoria Nuland, nesta terça-feira.
Segunda ela, os EUA não se recusam a dialogar com a Rússia dentro do escopo do Tratado. No entanto, a Rússia deve voltar para a instituição do CFE, acrescentou a diplomata norte-americana [...]
No final de 2007, Vladimir Putin decidiu suspender a participação da Rússia no CFE, até os EUA e seus aliados europeus ratificarem a variante nova do Tratado (de 1999). Os americanos não querem fazer qualquer movimento nessa direção. Agora, eles decidiram não informar a Rússia sobre a redistribuição de suas forças. Isto é obviamente uma outra violação do tratado que os Estados Unidos cometeram [...]
Pravda: É a Rússia um grande obstáculo para a condução da operação da OTAN contra a Síria? Tem os EUA algo a esconder de nós neste momento?
Anatoly Tsyganok (diretor do Centro de Previsões Militares): A Rússia é um obstáculo, sim. Temos uma base naval em Tartus, Síria. A base é protegida por complexos de defesa aérea, por isso as chances para o ataque da OTAN ou de Israel pelo mar são escassas. Se eles decidirem atacar, será mais provável ocorrer pela Arábia Saudita. Então, os EUA tem algo a esconder.
Há outro aspecto além desse. Há aproximadamente 120 mil cidadãos russos que vivem na Síria. Presumivelmente, por causa das mulheres russas, que se casaram com homens locais. A Rússia pode usar este detalhe para interferir nos acontecimentos da Síria. Além disso, 20% do complexo de defesa russo simplesmente perderá o posto caso a Rússia perca o mercado sírio. Não é de descartar que eles estejam reagrupando as forças da OTAN para se preparar para a guerra contra a Síria, e eles não queiram notificar a Rússia sobre isso.
Fonte: Pravda (Agência notícias da Rússia)


Navios de guerra russos que têm chegado em águas territoriais da Síria recentemente estavam carregando, entre outras coisas, assessores técnicos russos que ajudarão os sírios armar uma matriz de mísseis S-300 que Damasco recebeu nas últimas semanas, afirmou nesta quinta-feira uma notícia em Árabe sediada em Londres (Al Quds-Al Arabi). Citando fontes na Síria e na Rússia, o jornal disse que Moscou vê o ataque do ocidente a Síria como uma "linha vermelha" que não será tolerada. (Israel National News)
 

Quem escolhe o meu namorado(a)? Deus ou eu?

Um pensamento que alicia jovens na maioria das igrejas hoje em dia, está relacionado com o namoro: Deus, ou eu mesmo devo escolher meu namorado(a)? Essa pergunta inquieta a maioria dos jovens cristãos, e serve também de força de manobra em muitos ministérios de jovens. Mas qual é a resposta? Que meios ou critérios devemos usar para escolher um namorado(a)? Será que o fulano(a) é a pessoa que Deus escolheu? Ou eu que escolho?

Muitos jovens hoje em dia vivem essa crise nos relacionamentos. Gostam de alguém, mas temem que essa pessoa não faça parte dos planos de Deus para a sua vida, e buscam conciliar obediência à Deus com satisfação nos relacionamentos.

Carrego algumas dicas comigo para aconselhar jovens que vivem essa crise.

Antes de tudo, gostaria de dizer algo muito importante à todos os cristãos. DEUS NÃO ESCOLHE POR VOCÊ, ELE ESCOLHE COM VOCÊ. Isso mesmo, Deus abençoa seu namoro quando você faz uma escolha coerente. E aqui vão algumas dicas para você fazer essa escolha.

Namoro não é um espaço de vida para aprender a beijar, a transar e afirmar sua beleza.
Isso mesmo, o cristão encara o namoro como a ante sala da felicidade (casamento). E felicidade é coisa séria! Namoro para nós não é uma aventura infantil como o mundo vê. Namoro faz parte de um comportamento que gerará um novo casal. Antes de Deus cuidar de qualquer coisa relacionada a religião, ele cuidou de um casal de namorados (Adão e Eva), e abençoou aquele relacionamento para que eles gerassem uma humanidade abençoada. A troca de prioridades daquele casal fez com que o relacionamento ficasse a deriva do mal. Portanto se as prioridades do namoro forem trocadas pela proposta do mundo, Deus não pode escolher junto com você, essa pessoa que você escolheu. Pois esse tipo de procedimento não está nos planos de Deus para a nossa vida.

Diferenças religiosas são as mais difíceis de serem resolvidas entre um casal de namorados.
É muito complicado quando um cristão namora com alguém que não seja. Geralmente são muitos os conflitos gerados no relacionamento, pelo simples fato de que os valores são outros, e as escolhas do que se deve ou não fazer torna-se agonizante. Um velho adágio diz: “Urubu jamais voa com pomba”. Isso significa que a diferença religiosa torna a relação muito mais pesada e difícil de ser conciliada. Tempo e desgaste desnecessário para um jovem, que já carrega tantos outros problemas para resolver. (faculdade,primeiro emprego, compra do primeiro carro, etc.)

O seu namoro deve glorificar a Deus.
Paulo diz aos Coríntios: “Portanto, quer comais, quer bebais ou façais outra coisa qualquer, fazei tudo para a glória de Deus.” (1Co 13:31). Tudo que fazemos, devemos carregar o princípio do louvor e da exaltação de Deus. Se o namoro exalta a Deus, fique em paz com ele. Se esse namoro realça os valores de Deus no mundo, Deus é com você e o está abençoando, mas se for o contrário disso, fuja! Corra dessa relação, pois ela é um laço que prenderá a sua vida. A glória de Deus é a sua alegria, e um relacionamento que glorifica a Deus gera contentamento, satisfação e paz.

Por Bruno Santos.

Fonte: Novo Tempo

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Mais Rumores de Guerra

Navios de guerra russos estão sendo aguardados para chegar em águas territoriais da Síria, afirmou uma agência de notícias síria na última quinta-feira, indicando que esse movimento representaria uma clara mensagem ao Ocidente de que Moscou resistiria a qualquer intervenção estrangeira no conflito civil do país. (Haaretz

O governo de Israel considera que "chegou a hora" de agir contra o Irã, afirmou este domingo o ministro da Defesa, Ehud Barak, que em entrevista concedida nos Estados Unidos se negou a descartar um ataque militar para deter o programa nuclear da República Islâmica. (Terra) 

O comandante da força aérea da Guarda Revolucionária, o general Amir Ali Hadjizadeh, declarou que o Irã espera que Israel cometa o erro de atacar o país para enviar o país vizinho ao "lixo da história", informou a agência Fars.

"Uma de nossas grandes esperanças é que cometam tal ação, pois há muito tempo existe uma energia armazenada que esperamos utilizar para enviar os inimigos do Islã ao lixo da história", declarou o general, ao comentar as ameaças de ataques israelenses contra as instalações nucleares iranianas. "O desenvolvimento de nossas capacidades balísticas não cessará nunca", completou. (Terra)

domingo, 20 de novembro de 2011

Europa enfrenta pior crise desde 2ª Guerra, diz Merkel

A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, disse nesta segunda-feira que a Europa pode estar vivendo o momento mais difícil desde a Segunda Guerra Mundial, enquanto os novos líderes de Grécia e Itália corriam para formar governos e limitar os danos da crise de dívida da zona do euro. “A Europa está em um dos mais difíceis, talvez o mais difícil momento desde a Segunda Guerra Mundial”, declarou Merkel ao seu partido conservador em Leipzig. Ela disse temer que o continente fracasse se o euro falhar e prometeu fazer de tudo para impedir que isso aconteça. Mas no discurso de uma hora feito aos colegas da União Democrata-Cristã (CDU), Merkel não ofereceu novas ideias para resolver a crise, que obrigou Grécia, Irlanda e Portugal a pedir ajuda externa, gerando preocupação sobre a sobrevivência da união monetária de 17 nações. “Se o euro fracassar, então a Europa fracassa, e nós queremos impedir e nós iremos impedir isso. Isso é no que estamos trabalhando, porque é um projeto histórico enorme”, disse Merkel.

No drama de Roma, o presidente italiano pediu que o ex-comissário europeu e novo premiê do país, Mario Monti, forme um novo governo para restaurar a confiança do mercado na economia, cuja dívida é grande demais para o bloco do euro resgatar. Enquanto isso, os mercados financeiros mostravam alívio cauteloso com um leilão de bônus do país, que atraiu boa demanda dos investidores. Foram vendidos três bilhões de euros em títulos de cinco anos, mas os juros bateram recorde, atingindo 6,29%. Diante da alta dos rendimentos, o Banco Central Europeu (BCE) começou a comprar bônus do governo italiano logo após o leilão.

As nomeações de Monti e de um novo primeiro-ministro na Grécia, Lucas Papademos, foram recebidas com otimismo pelos mercados, mas era difícil apagar uma insegurança tão enraizada.

O premiê Silvio Berlusconi fez um discurso de despedida no domingo, pedindo que o BCE se torne um banco de último recurso para ajudar o euro. “Isso se tornou uma crise para nossa moeda comum, o euro, que não tem o apoio que toda moeda deveria ter”, afirmou em uma mensagem por vídeo.

Embora os problemas da Itália e a saída de Berlusconi tenham mandado para segundo plano a Grécia, que tem uma economia bem menor, o Fundo Monetário Internacional (FMI) e os líderes europeus manterão Papademos sob pressão para implementar reformas radicais.

Pesquisas de opinião mostram que o premiê tecnocrata tem apoio de três em cada quatro gregos. Mas ele enfrentava seu primeiro protesto nesta segunda-feira, com manifestantes acusando o novo governo de trabalhar de acordo com os interesses dos banqueiros. Inspetores do FMI, do BCE e da União Europeia (UE) começam a chegar a Atenas nesta segunda-feira, aumentando a pressão para a Grécia qualificar-se para um segundo programa de resgate, no valor de 130 bilhões de euros, e para uma parcela de empréstimos de oito bilhões de euros do resgate anterior.

(Terra)

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Economia mundial terá 'década perdida' se nações não se unirem, alerta diretora do FMI

A diretora do FMI, Christine Lagarde, afirmou que a economia mundial poderá ter uma "década perdida" se as nações não se unirem e trabalharem juntas.
Lagarde fez os comentários no início de uma visita de dois dias na China, que deve ter como assunto principal a crise das dívidas da Europa.
A diretora do FMI também afirmou que a Ásia não ficará imune aos problemas que atingem a zona do euro.
Martin Patience, correspondente da BBC em Pequim, afirma que os líderes europeus estão se voltando para a China, esperando que o país invista em um fundo de resgate para os países da zona do euro.
Mas, segundo o correspondente, a China até o momento tem mostrado uma postura mais relutante em relação à proposta para contribuir diretamente com este fundo.
Fonte: BBC

Nota: Nada acontece por acaso. Em mundo que está se arregimentando para o fim de todas as coisas, é fácil deduzir as intenções por trás das crises.

A crise financeira está a sacudir o mundo e a única solução para combatê-la (pelo menos aos olhos daqueles que estão no poder) é unir o mundo inteiro. Bento XVI já fez seu papel em apelar ao mundo para que isso aconteça, até sugeriu a criação de uma nova ordem mundial.

Comentar mais a respeito é chover no molhado. Já sabemos o que vai acontecer.

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Maconha: uma droga inocente?

As recentes tensões entre estudantes da USP e a Polícia Militar (leia aqui ótimo artigo sobre esse assunto) trouxeram novamente à tona o problema do uso da maconha. Seria a Cannabis sativarealmente inofensiva, como pregam alguns? Segundo o Dr. Bernell Baldwin, Ph.D, em artigo publicado no Journal of Health and Healing, em 2010, a substância mais usada na marijuana ou maconha é o tetrahidrocanabinol (THC). “Muitos componentes da maconha são encontrados no tabaco, mas o THC é característico dela”, explica Baldwin. O conteúdo de THC na planta varia muito dependendo da maconha. Um laboratório pode trabalhar com uma qualidade bem menos tóxica dela que pode ser muito diferente da que é usada em várias partes do mundo. “Assim, alguns cientistas dizem que a marijuana é inocente, enquanto outros, em outras partes do mundo, tendo acesso aos cultivos potentes, encontram efeitos no corpo que são realmente perigosos.”

Ainda segundo o artigo de Baldwin, estudos têm demonstrado que o THC da maconha passa dos pulmões através do sangue para o cérebro. Enzimas no cérebro não podem quebrar o THC como conseguem mais rápida ou completamente com a nicotina do cigarro comum. Assim, os efeitos agudos da marijuana são de muito mais longo tempo do que os da nicotina. Traços de THC podem permanecer por até uma semana no corpo.

De acordo com Baldwin, os fumadores de maconha geralmente inalam com muito mais força e profundamente para tentar conseguir mais THC. “Isso pode lesar mais devido ao monóxido de carbono e alcatrão absorvidos mais do que no cigarro comum”, diz ele. A Associação Britânica do Câncer relata que o alcatrão de cigarros de maconha contém 50% mais concentrações de carcinógenos como o benzopireno e o benzantraceno do que o cigarro comum. A média de cigarros de maconha fumados em 1960 continha 10 mg de THC. Hoje em dia eles podem ter cerca de 150 mg.

O THC também pode inibir o sistema imune no cérebro causando encefalite, suprimir a proliferação de células T importantes para defesa do corpo e inibir a liberação de interferon com GABA, substâncias naturais da imunidade humana.

Ainda assim, a despeito dos malefícios físicos, o maior problema da maconha reside no fato de que ela interfere nas ondas cerebrais normais e deprime a atividade elétrica do córtex frontal, “sede” do caráter e do poder moral. A memória recente fica prejudicada com o uso modesto de maconha. Além disso, ela reduz a motivação, a cognição (raciocínio), o aprendizado e a habilidade de se concentrar. Pesquisadores verificaram que, quando deram maconha a animais de laboratório que estavam muito estressados, eles começaram a se automutilar. “Isso sugere que algo parecido seria ligado às tentativas de suicídio em usuários de maconha. Já que esses animais normalmente não se automutilam, eles agiram assim por ação da droga”, conclui o Dr. Baldwin.

O Dr. Strongsky, da Fundação Nacional de Ciência da Suíça, num estudo com 9.268 adolescentes suíços, verificou que um quarto deles foram classificados como usuários de maconha, no presente ou no passado, e que, comparados com não usuários, houve maior prevalência de risco de comportamentos antissociais, acidentes e tentativas de suicídio nos usuários da droga.

Um estudo na Austrália envolveu 311 pares de gêmeos idênticos e não idênticos do mesmo sexo. Os que tinham usado maconha aos 17 anos de idade foram duas a cinco vezes mais propensos ao uso de drogas adicionais, dependência de álcool e abuso de drogas do que os que não usaram maconha na mesma idade. Os pesquisadores controlaram outros fatores de risco nesse estudo, tais como início precoce do consumo de álcool e tabaco, conflitos familiares, separação dos pais, abuso sexual, depressão e ansiedade. Não houve diferença entre os gêmeos idênticos e não idênticos, sugerindo, assim, que os fatores principais foram mesmo o ambiente e o uso da maconha como causas das complicações comportamentais.

Num artigo publicado no jornal A Voz da Serra, o médico psiquiatra Dr. Cesar Vasconcellos de Souza afirma que “a ideia de que a maconha não produz efeitos negativos sobre a saúde humana foi desenvolvida durante os anos 60 e 70, quando grupos de rock e outras figuras pops na cultura da época inadvertidamente caracterizaram a droga como benigna. Agora, décadas depois, ainda persiste essa ideia de ela ser inofensiva, apesar do fato de que mais adolescentes são encaminhados para tratamento pela dependência (ou adicção) da maconha do que por todas as outras drogas ilícitas combinadas”. 

John P. Walters, diretor do Escritório Nacional para o Programa de Controle da Droga dos Estados Unidos, afirma que “a maconha é mais perigosa do que as pessoas pensam e ela pode realmente levar a significativos problemas de saúde, abalar famílias e comprometer o futuro dos jovens, precisando ser dissipados enganos sobre ela” (“Dispelling the Myths About Marijuana”,Hazelden Foundation, outubro de 2002).

Na América do Norte, em 2001, fizeram uma pesquisa com 70 mil jovens acima de 12 anos e encontraram que a porcentagem de usuários de maconha (os que haviam usado pelo menos uma vez no mês anterior) havia aumentado de 4,8% em 2000 para 5,4% em 2001, sendo a droga ilícita mais usada entre a juventude norte-americana. Cerca de 60% dos jovens que usam drogas ilícitas, usam apenas maconha. Jovens da oitava série experimentam essa droga duas vezes mais do que há dez anos. Novos consumidores entre 12 e 17 anos dobraram de 800 mil, em 1990, para 1,6 milhão, em 1996. No ano 2000, cerca de 60% desses jovens achavam que a maconha era de grande risco, e em 2001 o número caiu para 53,5%. A redução da percepção do risco é um indicador importante para o uso futuro da droga. Então, espera-se um aumento do uso de maconha entre os jovens. 

“Daí ser importante que pais éticos, jovens livres da dependência química, ex-drogados e a mídia (que às vezes faz o papel irresponsável e maléfico de apresentar pessoas com algum grau ou posição cultural que defendem a ideia de que a maconha é inofensiva) divulgarem a verdade sobre os efeitos danosos do consumo da maconha sobre o corpo humano, a família e o futuro do jovem e da sociedade”, defende o Dr. Cesar, e ele lista alguns desses efeitos danosos:

A maconha hoje é muito mais potente – a média da concentração do princípio ativo da marijuana (THC), responsável pelo “barato” ou “onda”, aumentou de 1% em 1974 para 5% em 1997.

Efeitos agudos – prejuízo da fala, do pensamento, do julgamento, da memória de curto prazo, da coordenação e equilíbrio motores. Pode causar sonolência, ilusões, visão prejudicada, vômito severo, dor de cabeça, vertigem, sendo todas alterações perigosas no conduzir veículos.

Problemas respiratórios e câncer – uso crônico de maconha favorece o surgimento de tosses, inflamações na garganta, bronquite, pneumonia. Ela contém agentes causadores de câncer como o tabaco. O nível de monóxido de carbono absorvido pelo fumante dessa droga é de três a cinco vezes maior do que os fumantes de cigarro comum. Fumar cinco “baseados” (cigarros de maconha) por semana expõe o usuário a substâncias cancerígenas mais do que aquele que fuma um maço de cigarros por dia.

Adicção – cerca de 200 mil pessoas que iniciam o tratamento de Dependência Química (DQ) a cada ano, referem-se à maconha como sua primeira droga de escolha. 60% dos adolescentes em tratamento se submetem a ele por causa da maconha.

Risco aumentado sobre o comportamento – jovens usuários de maconha têm maior probabilidade de se envolver em comportamento de risco, tais como ter sexo, cometer atos de violência e dirigir sob sua influência. Usuários semanais têm cinco vezes mais chances de roubo e quatro vezes mais chance de se envolver em violência do que os que não usam a droga.

Pobre desempenho acadêmico – pesquisas sugerem que a maconha está ligada à queda da motivação e de energia e seus usuários vão pior nos estudos. Estudantes que obtêm letra “D” ou “E” (“A” é o melhor, “E” o pior) tiveram mais do que quatro vezes probabilidade de serem usuários de maconha do que os com conceito “A”.

Influência sobre o sistema imune e reprodutor – há evidências de que a maconha afeta as defesas imunológicas do organismo humano e diminui o número de espermatozoides, podendo gerar incapacidade no homem de fecundar a mulher.

Síndrome de abstinência – tolerância (precisar de mais droga para obter os mesmos efeitos) e efeitos negativos da retirada da droga têm sido observados nos consumidores de maconha. 

Desculpas – todo dependente químico vive a negação, que é um mecanismo de defesa psicológico que protege a pessoa da verdade que ela pode não estar pronta ou disposta a encarar. Quando a pessoa estiver pronta – o que significa que aceitou a dependência e parou com a negação –, ela pode começar a se libertar da adicção. Antes disto, usará desculpas “científicas” ou não.

Conclusão do Dr. Cesar (e de muitos outros): “Maconha é maléfica para consumo humano. Não é uma droga ‘inocente’. Ela pode romper com o processo de aprendizagem e o desenvolvimento, especialmente do jovem.”

Leia também: “Smoking marijuana: innocuous pastime or slippery slope?”, Hazelden Voice, Summer 2003 (a Hazelden Foundation é uma das melhores e mais antigas instituições especializadas no tratamento e prevenção do alcoolismo e dependência de outras drogas). 

Leia também: “Loucura: maconha deixa regiões do cérebro fora de sincronia umas com as outras”“Heavy marijuana use shrinks brain parts: study” e "A ciência adverte: fumar maconha emburrece"



Fonte: Criacionismo

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Irã responderá 'com toda força' a qualquer agressão

O Irã vai responder "com toda a sua força" a qualquer agressão militar por parte dos Estados Unidos ou de Israel, afirmou nesta quinta-feira (10) o guia supremo iraniano, o aiatolá Ali Khamenei, em um discurso diante de oficiais do exército.
"Os inimigos, em particular os Estados Unidos, seus vassalos e o regime sionista devem saber que a nação iraniana não quer agredir nenhum país, mas responderá com toda a sua força a qualquer agressão ou inclusive a qualquer ameaça, de modo que os agressores serão destruídos desde o seu interior", disse o aiatolá, segundo seu site.

"Quem pensar em uma agressão contra a República Islâmica do Irã deve se preparar para receber poderosos golpes e os punhos de aço do exército, dos Guardas da Revolução ou dos Basij (milícia islâmica)", acrescentou.

Autoridades iranianas esgrimiram nos últimos dias a ameaça de um ataque militar contra o Irã, num momento em que a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) expressou na terça-feira "sérias inquietações" sobre uma "possível dimensão militar" do programa nuclear iraniano.

O Irã é acusado há vários anos pelos ocidentais de querer se dotar de uma arma atômica, o que Teerã desmente categoricamente.
 Fonte: G1
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...