sexta-feira, 8 de junho de 2012

Papa reafirma “importância do domingo”


[...] Perto da conclusão de seu sermão [no Sétimo Encontro Mundial de Família, em Milão, Itália, no último dia 3], o Papa falou sobre o impacto devastador que as teorias econômicas modernas baseadas em um “conceito utilitarista do trabalho, da produção e do mercado” podem ter sobre a família. Tanto o plano de Deus quanto a experiência, declarou ele, mostra que essa “lógica unilateral de lucro máximo e puramente utilitária” não contribui para o bem da pessoa, da família ou da sociedade. “De fato, a mentalidade utilitarista tende a ter um efeito adverso sobre as relações pessoais e familiares, reduzindo-as a uma convergência frágil de interesses individuais e minando a solidez do tecido social.” Uma das maneiras pelas quais as famílias cristãs podem combater essa tendência é garantir que elas guardem o domingo como um dia especial para a família a cada semana. O domingo deve ser um dia “do homem e de seus valores”, separado para a “convivência, amizade, solidariedade, cultura, proximidade com a natureza, brincadeiras, esportes”, disse o Papa.

“Queridas famílias, a despeito do ritmo incessante do mundo moderno, não percam o sentido do Dia do Senhor! Ele é como um oásis onde paramos, a fim de saborear a alegria do encontro com Deus e saciar nossa sede dEle.”[...]


Nota Criacionismo: O dia bíblico do Senhor é o sábado do sétimo dia, e não o primeiro dia da semana (clique aqui para ter mais informações). Em sua cruzada para impor o domingo como dia de repouso, o papa vem se valendo de argumentos simpáticos, como a defesa do meio ambiente e a ajuda para resolver a crise econômica e moral da humanidade. Evidentemente que essas são causas nobres que merecem apoio, mas a maneira como se pretende que elas sejam levadas a cabo acabará excluindo uns poucos que “obedecem aos mandamentos de Deus e se mantêm fiéis ao testemunho de Jesus” (Ap 12:17). Esses seguidores de Jesus, por não aceitarem a santificação de um dia comum da semana, infelizmente serão mal compreendidos e vistos como inimigos da ordem e da paz - fundamentalistas, criacionistas fanáticos, e por aí vai. Quem viver verá.[MB] 

Nota Gilberto Theiss: O objetivo de roma e de muitos evangélicos é escudar o domingo sob a ideia da preservação, salvação e apoio às famílias. Portanto, para que os leitores se situem, se opor ou atacar o domingo será o mesmo que se opor e atacar a família. Neste ínterim, quem se atreverá a fazer tal loucura? Aqueles que se aventurarem a defender o sábado conforme orientado pela palavra de Deus serão acusados de fanáticos e de inimigos da maior de todas as instituições divina - a família. Uma mentira muito bem amparada por uma verdade. Boa estratégia, porém, ledo engano. Os alicerces para a fundamentação da inquisição moderna estão sendo estabelecidos de maneira que ganhe o apoio dos governos, dos ricos, dos pobres e dos mais sensíveis aos valores da família que tem se perdido nesse emaranhado de relativismo cultural, sexual, social e religioso. A lei dominical virá, no entanto, sob a perfeita roupagem da prática do bem, do sagrado e do bom senso.

Fontes:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...